01
Jan 10

Kazuo Ishiguro

 

Edição/reimpressão: 2005
Páginas: 332
Editor: Gradiva Publicações
 
Sinopse
Kazuo Ishiguro foi elogiado no Sunday Times por «ampliar as possibilidades da ficção». Em "Nunca Me Deixes", que se encontra certamente entre as suas melhores obras, conta-nos uma extraordinária história de amor, perda e verdades escondidas.
Kathy, Ruth e Tommy cresceram em Hailsham – um colégio interno idílico situado algures na província inglesa. Foram educados com esmero, cuidadosamente protegidos do mundo exterior e levados a crer que eram especiais. Mas o que os espera para além dos muros de Hailsham? Qual é, de facto, a sua razão de ser?
Só vários anos mais tarde, Kathy, agora uma jovem mulher de 31 anos, se permite ceder aos apelos da memória. O que se segue é a perturbadora história de como Kathy, Ruth e Tommy enfrentam aos poucos a verdade sobre uma infância aparentemente feliz — e sobre o futuro que lhes está destinado.
Nunca Me Deixes é um romance profundamente comovedor, atravessado por uma percepção singular da fragilidade da vida humana.
 
OPINIÃO:
 
O que mais me cativou neste livro foi o desenrolar lento dos acontecimentos, criando ao longo da leitura uma crescente expectativa de ler continuadamente, até perceber o enredo da história, e só no final o nó ser desatado.
A narrativa é concentrada nos pormenores, a escrita é simples mas tocante.
Gostei desta minha primeira abordagem a este autor, ao qual ficarei atenta para próximas leituras.
 

Obrigada Tuanita pelo empréstimo!

 

Classificação: 7/10

 

 

Kazuo Ishiguro nasceu em Nagasaki em 1954, mas em 1960 foi levado para Inglaterra, onde os pais o educaram na expectativa de regressar ao Japão. O regresso nunca teve lugar e Ishiguro tornou-se uma das vozes narrativas mais reconhecidas em Inglaterra, representante de uma literatura de fronteira entre diferentes culturas e gerações. Estudou na University of Kent e doutorou-se em escrita criativa, no curso fundado por Malcom Bradbury na University of East Anglia. Estreou-se na ficção através do conto, tendo publicado pela primeira vez em 1981 em Introduction 7: Stories by New Writers. Publicou o seu primeiro romance, A Pale View of Hills, em 1982, a que se seguiu em 1986 An Artist of the Floating World. Em 1989 foi-lhe atribuído o Booker Prize pelo romance The Remains of the Day, que mais tarde foi adaptado para cinema e divulgou internacionalmente a sua obra. Regressou ao romance em 1995 com The Unconsoled e em 2000 com When we were orphans. A Family Supper, © Kazuo Ishiguro, foi publicado na revista Esquire de Março de 1990.


Dazzling Books
Poeiras do báu recentes

Nunca Me Deixes

Próximas viagens
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
Viagens de 2009
Daisypath
A viajar pelas páginas de...José Saramago
Ensaio sobre a cegueira
bookcrossing.com
Bookcrossing meet-up http://www.bookcrossing.com/mybookshelf
comentários recentes
Acabadinho de ler...http://numadeletra.com/nunca-m...
Veja a resenha de Juliano Klevanskis sobre "A Insu...
A propósito de Kenzaburō Ōe:http://numadeletra.com...
Tens que ler!! O Quarto Arcano é espectacular. Os ...
Muito interessante o blog! Gostaria de aproveitar ...
É um livro bastante interessante!
Fiquei curiosa em relação a este livro...bjs
Olá Ana! Este foi o 1º livro que li do autor, pois...
Já li este livro à uns anos atrás e gostei, embora...
Apesar de não ser grande apreciadora de livros de ...
blogs SAPO