15
Jul 10

 

Harlan Coben
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 272
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722343022
Colecção: Minutos Contados

Sinopse
Myron Bolitar há mais de sete anos que não sabe nada de Terese Collins, desde a altura em que terminaram o seu intenso romance. Por isso, quando ela lhe liga de Paris num tom desesperado, Myron é completamente apanhado de surpresa. Suspeita da morte do ex-marido, Terese não tem ninguém a quem recorrer. Myron hesita, mas uma pista do caso arrasta-o para uma trama sinistra antes de poder voltar atrás. Com o seu característico charme e bom humor Myron terá de andar sempre um passo à frente de organizações como a Interpol e a Mossad antes que a sua própria vida e a de Terese se encontrem em risco. O novo livro de um dos maiores mestres do thriller contemporâneo continuará a cativar fãs com o seu ritmo frenético e enredo empolgante.
Um romance de leitura compulsiva. Um livro cheio de adrenalina, mistério e acção.
Um thriller soberbo. Para quem aprecia o género é uma excelente aposta. Eu adorei, e quero repetir brevemente e conhecer todos os outros livros do autor.

 

Daphne Du Maurier
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 400
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722341035
Sinopse
Escrito em 1938, Rebecca é uma obra de fôlego, diversas vezes adaptada ao cinema. Porém, só em 1941, numa versão de Alfred Hitchcock, o filme ganharia protagonismo, chegando mesmo a vencer dois Óscares estando nomeado para nove categorias. Rebecca é um clássico onde os sentimentos adquirem um lugar de destaque. Sentimentos no feminino, já que se trata da história de duas mulheres que se envolvem com o mesmo homem, apenas com uma particularidade: Rebecca está morta. E é o fantasma, embora nunca visível, do seu passado que assombra a nova mulher, agora casada com o nobre britânico e apaixonado de Rebecca. A intriga é assombrosa e ao mesmo tempo envolvente deixando sempre a sensação de que Rebecca é omnipresente. E é com esta imagem antiga que a nova mulher do viúvo Maxim de Winter terá de enfrentar todos os que amavam Rebecca e que a encaram como alguém que veio para lhe roubar o lugar. Rebecca é o romance que celebrizou Daphne du Maurier e que conheceu 28 reedições em quatro anos só na Grã-Bretanha.

"Sonhei, a noite passada, que voltara a Manderley". É com esta frase que começa o romance que consagrou Daphne du Maurier, traduzido em cerca de 20 línguas e adaptado em filme por Hitchcock.

Uma obra cativante, com uma história que nos prende desde a primeira frase. Um livro repleto de mistério escrito de uma forma fantástica.
E uma leitura completamente recomendável.



 


07
Fev 10

 

Khaled Hosseini

 

Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 324
Editor: Editorial Presença
Sinopse
 
Há livros que se enquadram na categoria de verdadeiros fenómenos literários, livros que caem na preferência do público e que são votados ao sucesso ainda antes da sua publicação. Há já algum tempo que se ouvia falar de Mil Sóis Resplandecentes, do afegão Khaled Hosseini, depois da sua fulgurante estreia com O Menino de Cabul, traduzido em trinta países e agora com adaptação cinematográfica em Portugal.
 
A verdade é que assim que as primeiras cópias de Mil Sóis Resplandecentes foram colocadas à venda, o romance liderou o primeiro lugar nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Alemanha, Holanda, Itália, Noruega, Nova-Zelândia e África do Sul, estando igualmente muito bem classificado no Brasil e em França. A própria Amazon americana afirmou que há muito tempo não tinha visto um entusiasmo tão grande a propósito de um livro. Devido ao elevado número de encomendas, nos Estados Unidos, foram realizadas cinco reedições ainda antes do livro chegar às livrarias e na primeira semana após a publicação, já tinham sido registadas um milhão de cópias em circulação. É pois um caso verdadeiramente arrebatador que combina preferências populares potenciadas pelo efeito de passa-palavra às melhores críticas internacionais.
 
Confirmando o talento de um grande narrador, Mil Sóis Resplandecentes passa em revista os últimos trinta anos no Afeganistão através da comovente história de duas mulheres afegãs casadas com o mesmo homem, unidas pela amizade e pela dor proveniente dos abusos que lhes são infligidos, dentro e fora de casa, em nome do machismo e da violência política vigente durante o regime taliban, mas separadas pela idade e pelas aspirações de vida. Um livro revelador, que aborda as relações humanas e as reforça perante reacções de poder excessivo e impunidade.
 

Sem dúvida, uma história comovente de duas mulheres afegãs que lutam com coragem pela sobrevivência no cenário impiedoso do próprio Afeganistão.

A par da história pessoal destas duas mulheres, Hosseini não esquece de abordar as mudanças políticas no país, a retirada dos soviéticos e a tomada de poder pelos talibãs.

Um romance pleno de sensibilidade que nos toca profundamente.

Classificação: 8/10

 

Obrigada Melrita pela partilha!


 


Doris Lessing

 

Edição/reimpressão: 2007
Páginas: 432
Editor: Editorial Presença
 
Sinopse
 

Anunciado dia 11 de Outubro de 2007 pela Academia Sueca, o Prémio Nobel da Literatura galardoou Doris Lessing, autora britânica de 87 anos. A Editorial Presença irá publicou O Sonho Mais Doce, um romance de 2001, com tradução de Fernanda Pinto Rodrigues. Geralmente concedido a elementos do sexo masculino, Doris Lessing foi uma revelação tornando-se a décima primeira mulher a receber o prémio contra cento e cinco homens já laureados. Escritora incansável, Lessing evidencia-se pela limpidez narrativa e por um genial tratamento das personagens, lugares e situações. "Foi pioneira na criação de uma consciência feminista na literatura, tem uma atitude de observação do mundo interior e do mundo real", refere Hélder Macedo escritor e amigo pessoal da autora. Considerado o maior prémio no mundo das letras foi justamente atribuído a uma grande senhora cujo talento encanta pela inovação e sentido de humanidade.

 

Em O Sonho Mais Doce, o leitor é conduzido por uma saga familiar que atravessa três gerações, centrando-se o enredo, sobretudo, na década de 60, altura em que a casa de Júlia Lennox alberga uma grande quantidade de jovens, personificando o espírito de liberdade prevalecente na Inglaterra de então. Recuando até 1914, a autora apresenta-nos Philip Lennox e a sua noiva Júlia, tendo como pano de fundo a I Guerra Mundial. Do casamento entre ambos nasce um filho Johnny, que se tornará um comunista muito activo. No limiar da II Grande Guerra Johnny apaixona-se por Frances, camarada do partido. Frances e os dois fiilhos que nascem desta união, abandonados por Johnny, vão morar com Júlia, entretanto já viúva. Já na década de 60, Sylvia, fruto de uma ligação amorosa de Johnny, também encontra refúgio em casa de Júlia. Sylvia sofre de anorexia mas apesar da doença consegue formar-se em medicina e depois de uma temporada em África regressa a Londres com dois jovens órfãos. Um retrato de três mulheres-coragem - Júlia, Frances e Sylvia - que aborda temas característicos de várias épocas como a guerra fria, a guerra do Vietname, as drogas, o surgimento da Sida em África, a anorexia e a depressão, entre outras.

 

Um livro interessante, principalmente pelos temas abordados. Achei a escrita da autora densa e por vezes um pouco cansativa. Houve partes do livro que se tornaram bastante aborrecidas. A leitura não fluiu com muita facilidade,e a sensação que tive foi, apesar de ter gostado do livro de uma forma geral, de que nunca mais chegava ao fim.

 

Classificação: 5/10

 

Obrigada Melrita pela partilha!

 

 


15
Dez 09

Marc Levy

 

Edição/reimpressão: 2000
Páginas: 192
Editor: Editorial Presença
 
Sinopse
Arthur, um jovem arquitecto californiano, acaba de alugar uma nova casa em São Francisco. Os objectos ainda empacotados encontram-se empilhados pelo chão. Decide preparar um banho relaxante enquanto é embalado pelas doces melodias de Peggy Lee. Subitamente Arthur começa a ouvir o som do estalar de dedos a acompanhar a música da rádio. "Não pode ser verdade...é do cansaço" pensa Arthur, contudo o som continua e aumenta, cada vez mais claro e distinto. Segue o som até ao armário da casa-de-banho. Ao abrir a porta depara-se com uma mulher sentada que continua a estalar os dedos ao som da música. Confuso, Arthur pensa tratar-se de uma partida do seu amigo Paul e pede à mulher para deixar a sua casa. Espantada e ainda mais confusa que Arthur, ela pergunta-lhe "Está a ver-me?". Lauren conta-lhe então uma história inverossímil: médica de profissão era a anterior inquilina daquele apartamento quando sofreu um acidente de automóvel. Seis meses ainda se encontrava em coma no hospital onde costumava trabalhar. Durante todo esse tempo o seu espírito vagueou pelo seu apartamento, que agora a sua mãe, já com poucas esperanças de uma recuperação, tinha arrendado a Arthur. Era tudo demasiado estranho, mas...e se fosse verdade? Com base neste enredo nasce uma história de amor forte, delicada e comovente, cheia de situações de um humor desconcertante, e um imenso potencial para ser transformado em imagens.
 
 
Este é o primeiro livro que leio do autor, e recomendo! Trata-se de um romance divertido, que aborda alguns temas interessantes sobre a eutanásia, a vida e a morte. O final fica em aberto, e a continuação da história surge num novo livro do autor: "Voltar a encontrar-te", esta será certamente uma das minhas próximas leituras.
 
Classificação: 7/10
 
 

 

publicado por wandinha às 21:36

16
Nov 09

James Frey

 

Edição/reimpressão: 2007
Páginas: 472
Editor: Editorial Presença
 
Sinopse

Inspirado no caso verídico de James Frey, Uma Vida Em Mil Pedaços é um relato impressionante de um caminho tortuoso pelo submundo do álcool e das drogas que levou ao limite da existência um jovem rapaz de vinte e três anos. Preso ao álcool desde os treze anos e à cocaína a partir dos vinte, James não cedeu à tentação do prazer imediato iniciando numa jornada solitária pelos trilhos da dependência. Uma opção que quase lhe custaria a vida, não fossem os pais a promoverem a sua reabilitação numa clínica de recuperação. E é precisamente o relato desse período que o livro trata, podendo o leitor assistir a seis semanas de alucinações, dores lancinantes e por fim às doze fases para atingir a cura. Começando por corrigir o nariz e implantar dentes a sangue frio, James terá de confrontar-se com os seus problemas interiores. Uma obra dura mas extremamente comovente que nos revela o lado obscuro da vida e nos concede esperança na possibilidade de recuperação.
 
OPINIÃO:
O objectivo do autor foi conseguido, transformar o modo como as pessoas vivem e pensam sobre um dos problemas que mais afectam a sociedade dos nossos dias: Alcoolismo e Toxidependência.
Pelo menos, a mim transformou.
Não tenho muitas palavras para definir o livro, a maior parte da leitura deixou-me simplesmente sem palavras.
Uma história perturbadora, comovente e principalmente cheia de esperança.
Muito bom, muito bom mesmo.
 
Classificação: 5/5
 

Obrigada zuzaa pela partilha!


03
Nov 09

Fabio Volo

 

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 224
Editor: Editorial Presença
 
Sinopse
 
Durante cerca de dois meses, Giacomo e Michela encontram-se todos os dias de manhã no eléctrico, a caminho do trabalho. Não se falam, apenas trocam olhares, mas para Giacomo esse momento transforma-se rapidamente no mais importante do dia. Até que uma manhã, sem que nada o previsse, Michela aborda-o e convida-o para tomar café, somente para lhe dizer que vai partir para Nova Iorque e não se vão voltar a ver. Mas quanto tempo resistirá Giacomo a correr atrás de um sonho? Um romance que reflecte sobre os desafios do amor, da amizade e dos sonhos, e que se tornou um bestseller em Itália.

 

OPINIÃO:

Um livro agradável de se ler, leve e de escrita acessível. A história torna-se bastante cativante acabando por nos prender a cada página, com a vontade de saber que volta irá dar a vida de Giacomo e Michela. Gostei.

 

Classificação: 3/5

 

 

Está a decorrer um Bookring deste livro no BookCrossing:

 

 

O Dia que Faltava - Fabio Volo

publicado por wandinha às 21:47

21
Out 09

Aravind Adiga

 

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 248
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722341004
 
Sinopse
O Tigre Branco arrebatou por unanimidade o Man Prémio Booker Prize de 2008, um dos mais prestigiados galardões literários a nível mundial. Ainda antes da sua nomeação para o prémio, O Tigre Branco era já apontado como um dos melhores romances do ano e Aravinda Adiga como uma grande revelação e um extraordinário romancista. A shortlist para o Booker era composta por candidatos muito fortes, muito embora O Tigre Branco tenha conquistado o júri a uma só voz. Romance de estreia, entrou de imediato nas preferências dos críticos, que o classificaram como "uma estreia brilhante e extraordinária". O livro revela uma Índia ainda muito pouco explorada pela ficção, a Índia negra, violenta e exuberante das desigualdades socioculturais. Toda a obra é uma longa carta dirigida ao Primeiro-Ministro chinês, escrita ao longo de sete noites. O autor da carta apresenta-se como o tigre branco do título, e auto-denomina-se um "empreendedor social". Descrevendo a sua notável ascensão de pobre aldeão a empresário e empreendedor social, o autor da carta, Balram, acaba por fazer uma denúncia mordaz das injustiças e peculiaridades da sociedade indiana. Fica assim feito o retrato de uma sociedade brutal, impiedosa, em que as injustiças se perpetuam geração após geração, como uma ladainha que se entoa incessantemente ao ritmo de uma roda de orações. São muito poucos os animais que conseguem abrir um buraco na vedação e escapar ao destino do cárcere eterno. O Tigre Branco é um deles.
 

 

 

OPINIÃO:

Este livro é uma profunda crítica às desigualdades sociais e económicas que se vivem na Índia.

A história nasce de cartas que um pobre criado indiano, Balram,  que se tornou num empresário que ascendou socialmente, envia ao Primeiro-Ministro chinês, Wen Jiabao. Nelas fala da pobreza extrema, da luta e o fosso entre classes e castas, da corrupção, das tradições e das diferenças culturais.

É um livro carregado de ironia e sarcasmo que despe a realidade, mostrando uma Índia que não conhecemos.

O livro superou todas as minhas expectativas, extremamente bem escrito, de uma forma dura, cruel e directa e principalmente realista.

Completamente recomendável.

Classificação: 5/5

 

 

 


31
Ago 09

Arthur Golden

 

Edição/reimpressão: 1999
Páginas: 488
Editor: Editorial Presença
 
Sinopse
Quioto, anos 30. Sayuri tem olhos cor de espelho e é uma das mais famosas gueixas do Japão. Acompanha cidadãos japoneses abastados, enverga deslumbrantes quimonos de seda mas tem de pagar pela sua própria liberdade até conhecer um danna que a sustente e pague todas as suas despesas. Na sua vida, tal como na de todas as gueixas, não há lugar para o amor, mas Sayuri apaixona-se... Um romance ímpar e contagiante que demorou dez anos a escrever. Um bestseller internacional adaptado a um filme dirigido por Steven Spielberg!

 

OPINIÃO:

Um livro simplesmente fantástico. Um romance incrível que nos mostra uma parte da cultura fascinante do Japão. eu sou suspeita em relação a este livro, pois sou apaixonada pelo Japão e tudo o que lhe diz respeito. No final do livro tive de ver imediatamente o filme, para traduzir todas as palavras em imagens da pequena Chiyo, personagem central de toda a história. Recomendo vivamente a leitura!

CLASSIFICAÇÃO: 5/5

 

 


24
Jul 09

O Riso de Deus de António Alçada Baptista

 

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 208
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722317573
Colecção: Grandes Narrativas
 
Sinopse
Ao acompanhar a vida de Francisco, o personagem central deste romance, ao longo das suas escolhas, da sua procura, ao acompanhá-lo ao longo das suas deambulações pelo mundo, pela história, ao sabor dos acasos e encontros e, muito especialmente , da intimidade de algumas mulheres cúmplices da mesma procura, o autor instaura uma forma de questionamento radical. Radicalidade que decorre do facto, inédito na sua escrita, de ser toda uma vida que é posta em balanço, tendo por contraponto esse limite que é a morte. Deus? Possivelmente. Mas um deus que ri, joga, um deus apaixonado pela pura alegria de existir.

 

 ..."Os que sonham a dormir sabem, de manhã, que era uma ilusão, mas os que sonham de olhos abertos acreditam que o estofo do futuro será feito desse sonho. Por isso são tão inquietantes aos olhos dos que preferiram ficar por aí, convencidos de que a vida se vive nestes limites, e nem ousam tomar conhecimento daquilo que se pode arriscar para poder experimentar as suas margens. É o medo que faz com que o homem ame a sua imperfeição." ...

 

Não consegui terminar de ler este livro. Comecei a ler com bastante entusiasmo, o início cativou-me bastante, mas com a continuidade da leitura o entusiasmo esmureceu-se página após página. Cada vez que pegava novamente no livro não conseguia avançar além de uma página. Acabei por desistir. Quem sabe um dia destes volte a pegar nele, mas com tantos livros por ler na estante, não deve ser para já.

 


08
Jul 09

 

O Perfume de Patrick Süskind

 

Edição/reimpressão: 2003
Páginas: 276
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722314480
 
Sinopse

Esta estranha história passa-se no século XVIII e é fruto de um extraordinário trabalho de reconstituição histórica que consegue captar plenamente os ambientes da época tal como as mentalidades. O protagonista é um artesão especializado no ofício de perfumista, e essa arte constitui para ele - nascido no meio dos nauseabundos odores de um mercado de rua - uma alquímica busca do Absoluto. O perfume supremo será para ele uma forma de alcançar o Belo e, nessa demanda nada o detém, nem mesmo os crimes mais hediondos, que fazem dele um ser monstruoso aos nossos olhos. Jean-Baptiste Grenouille possui no entanto uma incorrupta pureza que exerce um forte fascínio sobre o leitor.

 

O Perfume, publicado em 1985, de um autor então quase desconhecido, foi considerado um dos mais importantes romances da década e nunca mais deixou de ser reeditado desde então, totalizando os 4 milhões de exemplares vendi dos, só na Alemanha, e 15 milhões em países estrangeiros. Foi traduzido em 42 línguas. Este fenómeno transformou-o num dos mais importantes livros de culto de sempre.

 

Em 2006, O Perfume passa a ser uma longa-metragem inspirada no romance de Patrick Süskind.

 

O Filme:

 

Realização:Tom Tykwer

Intérpretes: Ben Whishaw, Dustin Hoffman, Alan Rickman, John Hurt

 

 Trailer:

 

 

OPINIÂO:

 

Um livro fantástico. Um romance insólito, descritivo, odorífero.

Apesar de me ter provocado algum mal-estar ler certas descrições do odor, no entanto estas são imprescindíveis para compreender o personagem e o seu ambiente.

Patrick Suskind inicia-nos numa viagem ao mundo das sensações, deixa o leitor maravilhado e inebriado pelo perfume que exala da sua escrita, plasmada de um modo simples e coerente.

Um livro bem conseguido que nos transporta para o mundo do olfacto e das sensações.

 

CLASSIFICAÇÃO: 4/5


Próximas viagens
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
Viagens de 2009
comentários recentes
Acabadinho de ler...http://numadeletra.com/nunca-m...
Veja a resenha de Juliano Klevanskis sobre "A Insu...
A propósito de Kenzaburō Ōe:http://numadeletra.com...
Tens que ler!! O Quarto Arcano é espectacular. Os ...
Muito interessante o blog! Gostaria de aproveitar ...
É um livro bastante interessante!
Fiquei curiosa em relação a este livro...bjs
Olá Ana! Este foi o 1º livro que li do autor, pois...
Já li este livro à uns anos atrás e gostei, embora...
Apesar de não ser grande apreciadora de livros de ...
blogs SAPO