16
Jul 10

 

 

J.R.Ward

 

 

Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 434
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724619446
Sinopse
Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali, existe um bando secreto de irmãos sem igual - seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Possuído por uma criatura mortífera, Rhage é o mais perigoso membro da Irmandade da Adaga Negra.
Na irmandade, Rhage é o vampiro com o apetite mais forte. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir aos impulsos e o amante mais voraz - pois dentro dele arde uma maldição feroz imposta pela Virgem Escrivã. Refém do seu lado mais obscuro, Rhage receia as vezes em que o seu dragão interior é libertado, tornando-o um autêntico perigo para todos os que o rodeiam.
Mary Luce, uma sobrevivente das teias mais trágicas da vida, é atirada, sem querer, para o mundo vampírico, ficando dependente da protecção de Rhage. Vítima da sua própria maldição fatal, Mary não está em busca de amor. Perdeu a fé nos milagres há muitos anos. Contudo, quando a intensa atracção animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que deve ligar Mary a si próprio. E, enquanto os seus inimigos se aproximam, Mary luta desesperadamente para ganhar a vida eterna junto daquele que ama...
Como já tinha dito, adorei o primeiro volume desta saga, e figuei com imensa curiosidade de ler os restantes livros, mas pensei que se tornariam talvez aborrecidos com a continuidade da história, enganei-me redondamente.
Continuo a adorar principalmente a escrita desta autora. É fantástica. Vale mesmo a pena ler, mesmo os não simpatizantes de histórias de vampiros, que era o meu caso.

 

publicado por wandinha às 00:27

31
Mar 10

J.R.Ward

 

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 428
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724619088

Sinopse

Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual - seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra.
Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado - deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino - Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos.
Transformada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fonte crescente que ameaça consumir ambos.
Confesso que este livro veio mesmo a calhar após algumas leituras mais "pesadas".
Foi o meu primeiro contacto com o mundo dos vampiros e adorei. Simplesmente devorei o livro, gostei muito da escrita da autora. Uma experiência a repetir em breve, muito em breve.
Classificação: 8/10

 

 

publicado por wandinha às 22:38

29
Dez 09

Haruki Murakami

 

Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 228
Editor: Casa das Letras
 
Sinopse
Por uma noite, Murakami leva-nos com ele através de uma Tóquio sombria, onírica, hipnótica. Um deslumbrante romance perpassado de uma singular atmosfera poética, na fronteira entre a realidade e o universo fantasmático, onde cada pormenor, olhado retrospectivamente, faz sentido.
Num bar, Mari encontra-se mergulhada num livro, enquanto bebe o seu chá e fuma cigarro atrás de cigarro. Às tantas, entra em cena um músico que a reconhece. Ao mesmo tempo, encerrada num quarto, Eri, a irmã de Mari, dorme com os punhos cerrados, sem saber que está a ser observada por alguém.
Em torno das duas irmãs desfilam personagens insólitas: uma prostituta chinesa vítima de agressão, a gerente de um hotel do amor, um técnico informático, uma empregada de limpeza em fuga. Sucedem-se acontecimentos bizarros: um aparelho de televisão que, de um momento para o outro, começa bruscamente a funcionar, um espelho que conserva os reflexos.
Em Tóquio, durante as horas de uma noite, vai desenrolar-se um estranho drama...
 
À medida que vou lendo mais livros deste autor confirmo a minha convicção de o eleger como um dos meus autores preferidos. Sem dúvida, acabou de se tornar oficial!
É impressionante, como é bela e suave a sua escrita, e quando chegamos quase às últimas páginas de After Dark, dámo-nos conta que toda a história se passa numa única noite, uma meia dúzia de horas descritas em 228 páginas, fantástico.
Escusado será dizer que adorei o livro, e que é totalmente recomendável.
 
 
Classificação: 8/10
 

Haruki Murakami foi recentemente galardoado com a Ordem das Artes e Letras de Espanha, anúncio feito pelo ministro da cultura de Espanha.

Leia aqui a notícia publicada noThe Independent.

 

 

 

.


06
Out 09

A minha estreia no mundo vampiresco. Estou com uma certa curiosidade em começar este tipo de leitura.

 

 

Seis guerreiros vampiros, amantes perigosos e irmãos de sangue vêm até si neste livro verdadeiramente poderoso.
 
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 428
Editor: Casa das Letras
P.V.P: 16,20€

 

Sinopse
Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual - seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra.
Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado - deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino - Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos.
Transformada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fonte crescente que ameaça consumir ambos.

 

Críticas de imprensa
 

«Deliciosamente arrojado, sensual e arrepiante!»

Romantic Times

 

«Um romance espantoso, instantaneamente viciante. Caímos num tornado nocturno de personagens perigosas e relações de um erotismo arrepiante. Amantes da fantasia negra: aqui está o que há muito mereciam.»

Booklist

 

publicado por wandinha às 01:04

 

Mais um livro de Sherrilyn Kenyon, desta vez editado pela Casa das Letras.

Mais um para juntar à biblioteca em breve.

 

 

 

Somos treva. Somos sombra. Somos os predadores da noite. Somos eternos...
 
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 682
Editor: Casa das Letras
P.V.P: 18,90€
 

 

Sinopse
Um deus nasceu há onze mil anos. Amaldiçoado num corpo humano, Acheron teve uma vida de sofrimento. A sua morte humana originou um horror indescritível que quase destruiu a Terra. Trazido de volta contra a sua vontade, tornou-se o único defensor da humanidade. Só que não foi assim tão simples...

Durante séculos, lutou pela nossa sobrevivência e escondeu um passado que não desejava revelar. Agora, tanto a sua sobrevivência, como a nossa, dependem da única mulher que o ameaça. Os velhos inimigos estão a despertar e a unir-se para matá-los - aos dois.

 

Críticas de imprensa
 

«Kenyon é a rainha reinante dos romances de vampiros.»

Publishers Weekly

 

«Um livro sensual e de fácil leitura.»

Booklist

 

«Irresistível.»

Publishers Weekly

 

«Uma leitura envolvente.»

Entertainment Weekly

«A escrita de Kenyon é alegre, irónica, sensual, e inexoravelmente imaginativa.»

The Boston Globe

 


28
Set 09

Hermann Hesse

 

Edição/reimpressão: 2001
Páginas: 156
Editor: Casa das Letras
 
Sinopse
Filho de um brâmane, desde cedo Siddhartha se destacou pela sua inteligência, a ponto de familiares e amigos lhe augurarem um futuro brilhante. Ele, no entanto, temendo pela salvação, parte, acompanhado pelo amigo Govinda, entretanto "refugiado junto do sábio Buda", ao encontro da paz espiritual.
 

Hermann Hesse (1877-1962) foi prémio Nobel da Literatura em 1946.

 

OPINIÃO:

Um livro relativamente pequeno, de linguagem simples mas cheio de significado que nos leva a reflectir nas nossas próprias vidas.

Siddhartha representa cada um de nós, em busca do seu caminho.

Entre as muitas mensagens que o livro transmite, uma delas marcou-me particularmente :  não se encontra aquilo que se procura, encontra-se o que se encontra.

 

 

Excerto:

 

"Olhou satisfeito para o rio, nunca a água lhe agradara tanto com esta, nunca compreendera tão clara e profundamente a voz e o significado alegórico da água que corre. Parecia-lhe que o rio tinha algo especial para lhe dizer, algo que ele ainda não sabia, que ainda o aguaradava.
 Olhou afectuosamente para a água, para o seu verde translúcido, para as linhas cristalinas dos seus contornos cheios de segredos. Viu pérolas cintilantes emergirem do fundo, bolhas de ar flutuando serenamente no espelho de água, reflectindo o azul do céu. O rio olhava para ele com mil olhos, verdes, brancos, cristalinos, azuis celestes. Como ele amava esta água, como ela o fascinava, quão agradecido lhe estava! Ouvia a voz falar-lhe no seu coração, desperta outra vez, dizendo-lhe:  Ama esta água! Fica junto a ela! Aprende com ela! Sim, ele queria aprender com ela, queria escutá-la. Parecia-lhe que quem compreendesse esta água e os seus segredos compreenderia muitas outras coisas, muitos segredos, todos os segredos.
 Mas hoje, dos segredos do rio ele via apenas um, um segredo que enchia a sua alma: aquela água corria continuamente, corria sempre mas estava sempre ali, para todo o sempre a mesma e, no entanto, a cada momento nova!"

 

Classificação: 3/5

 

 

publicado por wandinha às 14:36

31
Ago 09

Haruki Murakami

 

Edição/reimpressão: 2005
Páginas: 238
Editor: Casa das Letras
 
Sinopse

Narrativa on the road, ensaio sobre o desejo humano e especulação sobre o destino, o livro de Haruki Murakami é um exuberante exemplo da arte de um dos mais importantes escritores do Japão contemporâneo.

 
Excerto
"Na Primavera dos seus vinte e dois anos, Sumire apaixonou-se pela primeira vez na vida. Foi um amor intenso como um tornado abatendo-se sobre uma planície - capaz de tudo arrasar à sua passagem, atirando com todas as coisas ao ar no seu turbilhão, fazendo-as em pequenos pedaços, esmagando-as por completo. (...) A pessoa por quem Sumire se apaixonou, além de ser casada, tinha mais dezassete anos do que ela. E, devo acrescentar, era uma mulher (...) Foi a partir daqui que tudo começou, e foi a partir daqui que (quase) tudo acabou."

 

Críticas de imprensa

«Um belo romance, leve como uma pena... Um livro cativante escrito por um dos mais interessantes autores do mundo.»
Sunday Herald

 

Opinião:

Depois de ter começado pelo fantástico livro do autor "Kafka à beira-mar" confesso que esperava mais deste livro, achei-o simples e leve, talvez até demais. Mas a leitura deste autor é sempre recomendável, pela beleza da sua escrita. A curiosidade de continuar a conhecer outros livros de Murakami mantem-se.

Classificação: 3/5

 

 


24
Jul 09

 

Edição/reimpressão: 2006
Páginas: 590
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724616469
 
Sinopse
Kafka à Beira-Mar narra as aventuras (e desventuras) de duas estranhas personagens, cujas vidas, correndo lado a lado ao longo do romance, acabarão por revelar-se repletas de enigmas e carregadas de mistério. São elas Kafka Tamura, que foge de casa aos 15 anos, perseguido pela sombra da negra profecia que um dia lhe foi lançada pelo pai, e de Nakata, um homem já idoso que nunca recupera de um estranho acidente de que foi vítima quando jovem, que tem dedicado boa parte da sua vida a uma causa - procurar gatos desaparecidos.
Neste romance os gatos conversam com pessoas, do céu cai peixe, um chulo faz-se acompanhar de uma prostituta que cita Hegel e uma floresta abriga soldados que não sabem o que é envelhecer desde os dias da Segunda Guerra Mundial. Assiste-se, ainda, a uma morte brutal, só que tanto a identidade da vítima como a do assassino permanecerão um mistério.
Trata-se, no caso, de uma clássica (e extravagante) história de demanda e, simultaneamente, de uma arrojada exploração de tabus, só possível graças ao enorme talento de um dos maiores contadores de histórias do nosso tempo.
 
Excerto

"Sou livre. Fecho os olhos e penso com toda a minha força na minha nova condição, ainda que não esteja bem certo do que significa. Tudo o que sei é que estou completamente sozinho. Desterrado numa terra desconhecida, como um explorador solitário sem bússola nem mapa."

 

Críticas de imprensa

 

"Um romance de contornos pouco realistas, poético e simbólico. Puro, inocente, até, mas cativantemente enigmático e misterioso, narra o caminho de duas insólitas personagens de vidas paralelas, mas cheias de ligações, na procura dos seus destinos (...) Metáforas e notas de surrealismo tornam o texto imaginativo e intrigante e «uma a uma as palavrinhas vão directas ao meu coração e ficam lá gravadas»".

 

Mónica Maia, Abril de 2006

"Um dos melhores romances de Murakami." (Newsweek)

"Kafka à Beira-Mar é vivamente recomendado; leia-o ao seu gato." (Washington Post)

 

Haruki Murakami

 

Haruki Murakami, de quem a Casa das Letras editou Kafka à Beira-Mar (com mais de 15 mil exemplares vendidos) e Sputnik, Meu Amor  é um dos escritores japoneses contemporâneos mais divulgados em todo o mundo sendo, simultaneamente, aplaudido pela crítica, que o considera um dos «grandes romancistas vivos» (The Guardian) e a «mais peculiar e sedutora voz da moderna ficção» (Los Angeles Times).

Nasceu em Quioto, em 1949. Estudou teatro grego antes de gerir um bar de jazz em Tóquio, entre 1974 e 1981. Além de Sputnik, Meu Amo r, Kafka à Beira-Mar ,Dance, Dance, Dance

e A Wild Sheep Chase, que recebeu o Prémio Noma destinado a novos escritores (a editar brevemente pela Casa das Letras), Murakami é ainda autor, entre outros, deHard-boiled Wonderland and the End of the World (distinguido com o prestigiado Prémio Tanizaki) e, mais recentemente, deBlind Willow, Sleeping Woman , a sua terceira colectânea de contos, distinguida com o Frank O'Connor International Short Story Award.

 

OPINIÃO:

 

Estou completamente rendida à escrita deste autor. Haruki Murakini tem o dom de nos fazer pensar no sentido das suas palavras.

Não é um livro de fácil leitura porque não é um livro simples. É um livro de escrita elegante com um sentido poético elevadíssimo, mas cuja trama não se desenrola de forma clássica, mesmo chegado ao fim do livro, o leitor interroga-se mais do que se esclarece.

Aqui, fala-se de amizade,de refazer no futuro os nossos erros do passado, de procurar um sentido último, bem para além das convenções sociais, além de fazer uma descrição cuidada de muitos costumes do quotidiano do Japão.

 

CLASSIFICAÇÃO: 4/5

 

 

Man Asian Literary Prize 2007. 20 milhões de exemplares vendidos.
 
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 512
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724618425
 
Sinopse
É a década de 1960 e o intelectual Chen Zhen, de Pequim, oferece-se para viver numa remota zona nómada na estepe da Mongólia Interior. Aí, descobre uma sinergia muito antiga entre os nómadas, o seu gado e os lobos selvagens que vagueiam pelas planícies. Chen fica a conhecer a rica relação espiritual que existe entre estes adversários e aquilo que podem aprender uns com os outros.
Mas quando elementos da República Popular da China aparecem em grande número, vindos das cidades, para trazerem a modernidade e a produtividade à estepe, a paz da existência solitária de Chen é destruída e o equilíbrio delicado entre humanos e lobos desfaz-se. Só o tempo poderá dizer se o meio ambiente e a cultura da estepe irão recuperar alguma vez…
Uma descrição bela e comovente de uma terra e uma cultura que já não existem, A Hora do Lobo é também um retrato da China Moderna e uma visão fascinante da opinião que o país faz de si próprio, da sua história e da sua gente.
 
Críticas de imprensa
 

«O melhor livro asiático dos últimos anos. Iluminado, comovente, misterioso.»

Literary Review

 

«Um fascinante retrato de uma cultura que já não existe. Um fenómeno literário sem precedentes.»

Independent

 

«Vencedor do Man Asian Literary Prize de 2007, A Hora do Lobo é um fenómeno literário na China, trazendo um vivido retrato da cultura, da espiritualidade, da ética e do estilo de vida dos últimos nómadas da Mongólia Interior.»

Los Angeles Times

 

 

 

Jiang Rong

 

Jiang Rong nasceu em Jiangsu, em 1946. Em 1966 ingressou na Academia das Belas-Artes de Pequim, mas teve de interromper os seus estudos devido à Revolução Cultural. Aos 21 anos, ofereceu-se como voluntário para trabalhar na Mongólia Interior, onde viveu com os nómadas nativos durante 12 anos. Durante esse tempo, aprofundou os seus estudos sobre a história, a cultura e as tradições da Mongólia, desenvolvendo um fascínio particular pela mitologia ligada aos lobos das estepes.
Em 1978 voltou para Pequim onde se formou em Ciências Sociais. Jiang trabalhou como professor universitário até se reformar, em 2006.
A Hora do Lobo é um relato ficcional de uma vida na década de 1970 que se baseia na experiência pessoal de Jiang nas estepes da região fronteiriça da China.

 

CLASSIFICAÇÃO: 4/5

 


Dazzling Books
Próximas viagens
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
Viagens de 2009
Daisypath
A viajar pelas páginas de...José Saramago
Ensaio sobre a cegueira
bookcrossing.com
Bookcrossing meet-up http://www.bookcrossing.com/mybookshelf
comentários recentes
Acabadinho de ler...http://numadeletra.com/nunca-m...
Veja a resenha de Juliano Klevanskis sobre "A Insu...
A propósito de Kenzaburō Ōe:http://numadeletra.com...
Tens que ler!! O Quarto Arcano é espectacular. Os ...
Muito interessante o blog! Gostaria de aproveitar ...
É um livro bastante interessante!
Fiquei curiosa em relação a este livro...bjs
Olá Ana! Este foi o 1º livro que li do autor, pois...
Já li este livro à uns anos atrás e gostei, embora...
Apesar de não ser grande apreciadora de livros de ...
blogs SAPO