24
Jul 09

A Insustentável Leveza do Ser de Milan Kundera
 
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 368
Editor: Dom Quixote
ISBN: 9789722000024
Colecção: Ficção Universal
 
Sinopse
A Insustentável Leveza do Ser é seguramente um dos romances míticos do século XX, uma daquelas obras raras que alteram o modo como toda uma geração observa o mundo que a rodeia.
 
Sobre o livro, Italo Calvino escreveu:
"O peso da vida, para Kundera, está em toda a forma de opressão. O romance mostra-nos como, na vida, tudo aquilo que escolhemos e apreciamos pela leveza acaba bem cedo se revelando de um peso insustentável. Apenas, talvez, a vivacidade e a mobilidade da inteligência escapam à condenação -- as qualidades de que se compõe o romance e que pertencem a um universo que não é mais aquele do viver"
 

Alguns momentos da obra:

 

 

"...Enquanto as pessoas são novas e as partituras musicais das suas vidas ainda só vão nos primeiros compassos, podem compô-las em conjunto e até trocarem temas (como Tomas e Sabina trocaram o tema do chapeu de coco). Porém, quando se conhecem numa idade mais madura, as suas partituras musicais já estão mais ou menos acabadas e cada palavra, cada objecto, tem um significado diferente na partitura de cada uma..."

 

 

"Para Sabina, viver significa ver. A visão encontra-se limitada por duas fronteiras: Uma luz de tal modo intensa que nos cega e uma obscuridade total. Talvez seja daí que lhe vem a repugnância por todos os extremismos. Os extremos marcam a fronteira para lá da qual não há vida, e, tanto em arte como em política, a paixão do extremismo é um desejo de morte disfarçado."

 

 

"... Franz é forte, mas a força dele está unicamente voltada para fora. Com as pessoas com quem vive, com aqueles que ama, é muito fraco. A fraqueza de Franz chama-se bondade. [...] Então perguntou a Franz: 'E porque é que de tempos a tempos não te serves da tua força contra mim?
- Porque amar é renunciar à força', disse Franz, com doçura.
Sabina percebeu duas coisas: primeiro, que aquela frase era bela e verdadeira; segundo, que, com aquela frase, Frans acabara de se desvalorizar para sempre na sua vida erótica"

 

 

"Mas o que acontecera ao certo a Sabina? Nada. Deixara um homem porque queria deixa-lo. Esse homem tinha vindo atrás dela? Tinha querido vingar-se? Não. O seu drama não era o drama do peso, mas o da leveza. O que se abatera sobre ela não era um fardo, mas a insustentável leveza do ser."

 

MILAN KUNDERA foi distinguido com o Prémio Mundial da Fundação Simone e Cino Del Duca a 10 de Junho de 2009.

 

www.asa.pt/noticia.php

 

OPINIÃO:

 

A história acontece em Praga e em Viena, em 1968, e atravessa algumas décadas. Narra os amores e os desamores de quatro pessoas: Tomás, Teresa, Sabina e Franz.

Os personagens de Kundera neste romance são leves, Tomás colecciona encontros e relações sexuais, mas compreende que todas as suas buscas são um retorno ao mesmo, retorno a Teresa.


Teresa, por sua vez, tenta encaixar-se numa ordem, mas percebe o peso das suas ideias. Franz parece-se com Teresa, busca situar-se em algo, mas a casualidade rompe com os seus planos. Sabina parece-se com Tomás, também dança a música da casualidade dentro de um show que parece sempre ter os mesmos aplausos. Tomás e Sabina são metáforas da leveza do ser, o ser jogado dentro de uma perspectiva existencialista, seres condenados à liberdade de escolher.

 

De uma forma geral achei alguns capítulos do livro apaixonantes mas outros bastante aborrecidos. Talvez seja mesmo essa a mensagem que Milan Kundera pretende transmitir neste livro, a dualidade entre o peso e a leveza em cada detalhe da nossa vida.
Apesar de definitivamente não ser o livro da minha vida, vale a pena ler.
Fiquei curiosa para ler algo mais deste autor, para ficar com uma ideia mais clara da sua escrita.

 

CLASSIFICAÇÃO: 3/5

 

publicado por wandinha às 00:07

comentários:
De uma forma geral achei alguns capítulos do livro apaixonantes mas outros bastante aborrecidos. Talvez seja mesmo essa a mensagem que Milan Kundera pretende transmitir neste livro, a dualidade entre o peso e a leveza em cada detalhe da nossa vida.
Apesar de definitivamente não ser o livro da minha vida, vale a pena ler.
Fiquei curiosa para ler algo mais deste autor, para ficar com uma ideia mais clara da sua escrita.
wandinha a 24 de Julho de 2009 às 00:14

Veja a resenha de Juliano Klevanskis sobre "A Insustentável Leveza do Ser": https://www.livrosearte.com.br/loja/blog/a-insustentavel-leveza-do-ser/
Julio a 18 de Outubro de 2013 às 00:08

Dazzling Books
Próximas viagens
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
25

26
27
28
29
31


pesquisar
 
Viagens de 2009
Daisypath
A viajar pelas páginas de...José Saramago
Ensaio sobre a cegueira
bookcrossing.com
Bookcrossing meet-up http://www.bookcrossing.com/mybookshelf
comentários recentes
Acabadinho de ler...http://numadeletra.com/nunca-m...
Veja a resenha de Juliano Klevanskis sobre "A Insu...
A propósito de Kenzaburō Ōe:http://numadeletra.com...
Tens que ler!! O Quarto Arcano é espectacular. Os ...
Muito interessante o blog! Gostaria de aproveitar ...
É um livro bastante interessante!
Fiquei curiosa em relação a este livro...bjs
Olá Ana! Este foi o 1º livro que li do autor, pois...
Já li este livro à uns anos atrás e gostei, embora...
Apesar de não ser grande apreciadora de livros de ...